Atual Bispo do Porto acusado de encobrir abuso sexual de padre há 18 anos
Atual Bispo do Porto acusado de encobrir abuso sexual de padre há 18 anos

Atual Bispo do Porto acusado de encobrir abuso sexual de padre há 18 anos

Partilhar:

Segundo notícia o JN, o atual Bispo do Porto, D. Manuel Linda, é acusado de encobrir o abuso sexual de um padre, há 18 anos.

Uma mulher conta que se envolveu com um padre aos 12 anos e, por se sentir mal, abordou o então professor Manuel Linda. “Ele disse a que a culpa era minha”.

Ana (nome fictício), antiga aluna do atual bispo do Porto, Manuel Linda, acusa-o de não lhe ter dado atenção quando, há cerca de 18 anos, em Vila Real, a ouviu confessar-lhe um relacionamento com o padre Heitor Antunes, então pároco de Nogueira, e de quem terá sofrido abusos sexuais aos 12 anos.

Manuel Linda era professor de Educação Moral e Religiosa, na Escola Secundária Camilo Castelo Branco, de Vila Real. Ana não consegue precisar, diz que tinha 13 ou 14 anos, quando abordou o professor, à saída de uma aula, e o acompanhou umas centenas de metros, até à porta do Seminário. “Ali, contei-lhe que, mesmo sendo menor, tinha um envolvimento com o padre Heitor. Ele disse que a culpa era minha. Que eu é que andava a atrás dele”.

Ana falou em jeito de “desabafo”. “Porque não me estava a sentir bem com a situação. Queria ouvir um conselho ou que falasse com ele. Com aquela resposta saí de lá a chorar. Depois, pedi ao meu pai para mudar para um colégio interno de Vila Nova de Gaia para poder afastar-me. Heitor descobriu onde eu estava e reatámos a relação”.

Aos 23 anos, Ana engravidou. Nasceu uma menina, que tem quase oito anos e está no centro de um processo de regulação de poder parental entre a mulher e Heitor, que, entretanto, deixou de ser padre. Este quer visitas prolongadas à filha, Ana está contra. “Tenho medo que lhe faça o mesmo que começou por me fazer a mim, porque não tem laços afetivos nem emocionais com a filha”. Ana pediu em tribunal uma “perícia psiquiátrica” a Heitor.

Manuel Linda, que disse não se lembrar deste caso (ver reação ao lado), foi muito criticado depois de, no início deste mês, ter dito que o abuso sexual de menores “não é um crime público” e, por isso, “não há obrigatoriedade de denúncia”. A afirmação foi desmentida, até, por outras figuras da Igreja.

Manuel Linda, que disse não se lembrar deste caso, foi muito criticado depois de, no início deste mês, ter dito que o abuso sexual de menores “não é um crime público” e, por isso, “não há obrigatoriedade de denúncia”. A afirmação foi desmentida, até, por outras figuras da Igreja.

“Não me consigo recordar minimamente de nada parecido com essa denúncia. Se alguma vez tivesse recebido alguma denúncia, teria reportado imediatamente ao meu Bispo. Agora, e como Bispo do Porto, espero que nunca uma denúncia como esta fique sem resposta e que qualquer vítima possa denunciar e partilhar essa dor. Se alguma vez uma denúncia não teve acolhimento pela Igreja, só posso pedir perdão por essa falha”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *