Câmara de Vila do Conde abre candidaturas para Programa de Apoio Social ao Arrendamento Habitacional
Câmara de Vila do Conde abre candidaturas para Programa de Apoio Social ao Arrendamento Habitacional

Câmara de Vila do Conde abre candidaturas para Programa de Apoio Social ao Arrendamento Habitacional

Partilhar:

A Câmara Municipal de Vila do Conde abriu as candidaturas para o novo Programa de Apoio Social ao Arrendamento Habitacional, que estarão disponíveis até ao dia 14 de junho. Este programa visa ajudar famílias que enfrentam dificuldades em pagar a renda, oferecendo uma comparticipação que pode chegar até 50% do valor mensal, por um período máximo de três anos.

Segundo a vereadora da Ação Social, Carla Peixoto, “É uma medida complementar à nossa Estratégia Local de Habitação, que pretende dar resposta a estas famílias que não conseguem fazer face às despesas”. A primeira edição do programa conta com uma dotação inicial de 150 mil euros, com a possibilidade de aumento conforme a necessidade.

Requisitos para Candidatura

Para se candidatar, as famílias devem:

  • Residir no concelho de Vila do Conde há pelo menos dois anos.
  • Não possuir casa própria.
  • Ter um rendimento mensal per capita igual ou inferior a 305,55 euros.
  • Não serem beneficiárias de programas estatais de apoio à renda.
  • Ter um contrato de arrendamento legal, registado nas finanças.

A comparticipação será válida por 12 meses, renovável até um máximo de 36 meses, e pode cobrir até 50% da renda. Os valores máximos de renda cobertos são 512 euros para T1, 635 euros para T2 e T3, e 826 euros para T4 e T5.

Processo de Candidatura

As candidaturas podem ser submetidas online, através do portal da autarquia, ou presencialmente no Balcão Único Municipal. Carla Peixoto espera que as respostas sejam dadas em agosto/setembro, com o início dos apoios financeiros previsto para outubro.

Estratégia Local de Habitação

Dentro da sua Estratégia Local de Habitação, Vila do Conde identificou 585 famílias necessitadas de habitação. Para atender a essa demanda, planeja construir 658 apartamentos e realizar obras em todas as habitações sociais, com um investimento total estimado de 104 milhões de euros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *