Ciclismo: Jorge Galvez (Zamora) vence 5.ª etapa do GP JN. Luís Fernandes (Rádio Popular-Paredes) conquista amarela
Ciclismo: Jorge Galvez (Zamora) vence 5.ª etapa do GP JN. Luís Fernandes (Rádio Popular-Paredes) conquista amarela

Ciclismo: Jorge Galvez (Zamora) vence 5.ª etapa do GP JN. Luís Fernandes (Rádio Popular-Paredes) conquista amarela

Partilhar:

Com um pelotão abundante em jovens à procura de visibilidade e protagonismo, a edição de 2023 do Grande Prémio JN continua a ter resultados imprevisíveis a cada etapa. Em todas se travam batalhas do primeiro ao último quilómetro e os finais têm revelado vencedores diferentes e constantes alterações na classificação geral, tornando imprevisível o seu desfecho no próximo domingo, na derradeira chegada, em Viana do Castelo.

Na 5.ª etapa, esta quarta-feira, com partida e meta em Gondomar, na distância de 130,4 km, a fuga formou-se com 25 km percorridos e integrou 13 ciclistas: Maurício Moreira e Rafael Reis (Glassdrive), Hugo Nunes e Luís Fernandes (Rádio Popular-Boavista), Joaquim Silva, Henrique Casimiro (Efapel), António Ferreira e José Sousa (Kelly), Ivo Pinheiro (ABFT-Feirense), Rodrigo Caixas (Credibom), Francisco Campos e Pedro Pinto (Fonte Nova) e José Rebollo (Zamora). 

Grupo que, com espanto, aos 80 km dispunha de 10.05 minutos de vantagem para o pelotão e que se determinou como irrecuperável à entrada dos últimos 5 km ao rondar ainda amplos 4.30 m.

Numa chegada ao sprint entre os fugitivos, o espanhol Jorge Galvez (Zamora) bateu Luís Mendonça e Rafael Reis. Com o 9.º lugar na etapa, a 8 segundos do vencedor, Luís Fernandes (Rádio Popular-Paredes) é o novo camisola amarela, com 40 segundos sobre Rafael Reis e 1.01 m para Henrique Casimiro (Efapel), segundo e terceiro da geral. 

Luís Fernandes, de 35 anos, foi quarto na Volta a Portugal de 2022, mas na edição deste ano não foi além da 45.ª posição e teve o sexto lugar na etapa da Senhora da Graça como melhor resultado. 

«Ao contrário do habitual a época não começou muito bem e refletiu-se num desempenho longe do que esperava na Volta a Portugal. Esta etapa foi muito bem disputada. Com a diferença da fuga a aumentar para o pelotão, o objetivo era chegar à camisola amarela, que acabou por ser conseguido. Não vai ser fácil mantê-la, a colaboração e estratégia da equipa serão determinantes, principalmente nas etapas de Guimarães e no dia seguinte na Maia» afirmou o ciclista da Rádio Popular-Paredes-Boavista no final da etapa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *