Contra a Vontade do Governo a Assembleia da República aprova proposta do PS para abolição das portagens nas ex-SCUT
Contra a Vontade do Governo a Assembleia da República aprova proposta do PS para abolição das portagens nas ex-SCUT

Contra a Vontade do Governo a Assembleia da República aprova proposta do PS para abolição das portagens nas ex-SCUT

Partilhar:

Na mais recente sessão parlamentar, a Assembleia da República deliberou favoravelmente a proposta do Partido Socialista (PS) para a abolição das portagens nas antigas SCUT (Sem Custos para o Utilizador). A medida recebeu o apoio de diversos partidos, incluindo o Chega, PCP, BE e Livre, enquanto a Iniciativa Liberal se absteve. Em contrapartida, o PSD e o CDS-PP manifestaram-se contra a iniciativa.

Após a votação, o líder do Chega, André Ventura, criticou o Governo do PSD, acusando-o de estar “do lado errado da história”. Ventura destacou o apoio à proposta, ressaltando o compromisso do seu partido com a abolição das portagens não apenas nas SCUT, mas em todo o território nacional.

Por sua vez, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, expressou satisfação com a aprovação da medida, que constava no programa eleitoral do PS. Além disso, criticou os primeiros 30 dias de governação da Aliança Democrática, apontando falhas e discordâncias em relação às políticas implementadas.

Entretanto, o ministro dos Assuntos Parlamentares, Pedro Duarte, acusou o PS e o Chega de obstaculizarem o funcionamento do Governo, referindo-se à proposta como irresponsável do ponto de vista orçamental.

Paulo Raimundo, secretário-geral do PCP, expressou apoio à medida do PS, mas também destacou o “roçar de hipocrisia” por parte dos socialistas, salientando que o seu partido apresentou uma proposta mais abrangente, incluindo a questão das Parcerias Público-Privadas (PPP).

Esta aprovação representa uma mudança significativa na política de portagens em Portugal, gerando debates acalorados sobre a sua viabilidade económica e impacto nas infraestruturas rodoviárias do país.

Foto. Arquivo Fotográfico da Assembleia da República

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *