Cristiano Bacci Assume Comando do Boavista com Objetivo de Época Tranquila
Cristiano Bacci Assume Comando do Boavista com Objetivo de Época Tranquila

Cristiano Bacci Assume Comando do Boavista com Objetivo de Época Tranquila

Partilhar:

O treinador italiano Cristiano Bacci projetou esta quarta-feira uma época tranquila e com futebol prático à frente do Boavista, após ser oficializado como sucessor de Jorge Simão pelo 15.º classificado da edição 2023/24 da Liga Portugal.

“Depois de ter trabalhado 10 anos como adjunto, senti que este era o momento certo para voltar a ser técnico principal. Acredito que o Boavista é o clube ideal para me acompanhar nesta jornada. Sou uma pessoa prática e, por isso, o meu futebol será prático. Gosto de uma mentalidade de equipa forte, assente numa base organizada a nível defensivo e ofensivo. Vamos tentar fazer uma boa época, tal como este clube merece”, destacou Bacci na sua apresentação no Estádio do Bessa, no Porto.

Ao lado do recém-eleito presidente da SAD axadrezada, o ex-avançado senegalês Fary Faye, Bacci foi descrito como uma pessoa “muito ambiciosa e rigorosa para levar o clube a bom porto”. Fary Faye, contudo, não respondeu a perguntas da comunicação social.

“Conheço bem o Boavista. Sei que é o quarto clube mais titulado em Portugal, e é uma grande honra representá-lo. Ainda é cedo para falar dos jogadores, visto que estamos a planear a equipa, mas queremos trabalhar com quem respeita o emblema. O objetivo é fazer uma época tranquila e alcançar a manutenção o mais rápido possível”, disse Bacci, que assinou contrato por um ano, até 2025.

Cristiano Bacci, de 48 anos, teve a última experiência como treinador principal em Portugal, ao conduzir o Olhanense (2015-2016), então na Liga 2. Antes disso, treinou Virtus Entella, Derthona e Caratese nos escalões inferiores de Itália.

“O meu alvo era voltar a ser técnico principal e penso que o Boavista é a melhor escolha. Vim do futebol italiano, que é bastante rigoroso, mas já trabalhei com treinadores focados na situação ofensiva. Juntei ideias e mudei algum pensamento do meu futebol. Estou claramente mais evoluído. A minha ligação com Portugal é forte e o futebol nacional tem uma mistura de identidades de diferentes países. Por isso, penso que não terei nenhum problema. Conheço a Liga Portugal, os atletas e as equipas”, afirmou Bacci.

Nos últimos sete anos, Bacci trabalhou como adjunto no PAOK Salónica (2017-2019 e 2021-2023), Al Hilal (2019-2021) e Udinese (2023/24), antes de ser contratado pelo Boavista, que atualmente está proibido de inscrever novos jogadores pela FIFA e tem integrado jovens da formação no plantel principal.

“O Boavista está a atravessar um período difícil a nível financeiro, mas faz parte. Vamos saber lidar com isso. Já falei com o presidente, que me passou uma mensagem positiva sobre o futuro, e tenho toda a confiança nele. Estou aqui porque encaixo na vontade do clube de fazer evoluir jovens. Sempre gostei de trabalhar com eles e também sei que as camadas jovens do Boavista são importantes. Há que aproveitar essa situação”, apelou.

O plantel do Boavista inicia os trabalhos de pré-temporada em 5 de julho, com dois dias consecutivos de exames médicos e físicos, enquanto o primeiro treino no relvado está agendado para 8 de julho.

O Boavista vai efetuar a sua 62.ª participação, e 11.ª seguida, na Liga Portugal, cuja edição 2024/25 começa no fim de semana de 10 e 11 de agosto, após assegurar a permanência no limite em 2023/24, terminando na 15.ª posição, a última de salvação direta, com 32 pontos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *