Festival de Música Internacional continua a (en)cantar a Póvoa de Varzim
Festival de Música Internacional continua a (en)cantar a Póvoa de Varzim

Festival de Música Internacional continua a (en)cantar a Póvoa de Varzim

Partilhar:

A Póvoa de Varzim é ponto central da melhor música nacional e além-fronteiras, com a realização do Festival Internacional de Música até ao dia 29 de julho. No âmbito da sua vasta programação, os últimos dias foram de espetáculos de reconhecida qualidade, no Cine-Teatro Garrett, na Igreja Matriz e na Igreja Românica de Rates.

A renomada Rachel Felton, em estreia em Portugal, soou, no Cine-Teatro Garrett, a “Viagem de Inverno” de Schubert – obra esculpida pela artista no formato de auto-acompanhamento, que propiciou um momento de piano inesquecível aos espectadores que preencheram a sala de espetáculos poveira, no passado dia 12 de julho.

A 14 de julho, a Igreja Matriz encheu-se para a estreia da Missa Syllabica de 4 Sacred Chants de Valentin Silvestrov, da autoria dos Vox Clamantis e Jaan-Eik Tulve. No dia seguinte, a igreja poveira acolheu a Orquestra de Câmara de Colónia, Christoph Poppen, Anja Lechner e Goran Stevanovich para mais uma grande noite cultural no concelho da Póvoa de Varzim.

O Ensemble Contemporâneo da Póvoa de Varzim, com 25 músicos portugueses com carreiras internacionais, e que ocupam lugares destacados nas maiores orquestras da Europa, marcou a sua estreia absoluta no Festival, no dia 16, na Igreja Matriz, com a apresentação de uma visão contemporânea e renovada de obras já conhecidas do público.

A finalizar a primeira série de espetáculos, o quarteto de flautas bisel dos Woodpeckers Quartet, a Orquestra Metropolitana de Lisboa e Zoltán Fejérvárie (em estreia absoluta), encheram a Igreja Românica de Rates e o Cine-Teatro Garrett na passada quarta-feira, esta sexta-feira e no sábado, respetivamente.

O 45.º FIMPV decorre até 29 de julho entre o Cine-Teatro Garrett, a Igreja Românica de S. Pedro de Rates e a Igreja Matriz, com manifestações paralelas na Biblioteca Diana-Bar, Biblioteca Municipal Rocha Peixoto e no Museu Municipal.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *