Futebol Mundial 2002: Depois da Argentina a vitima da derrota surpresa foi a Alemanha
Futebol Mundial 2002: Depois da Argentina a vitima da derrota surpresa foi a Alemanha

Futebol Mundial 2002: Depois da Argentina a vitima da derrota surpresa foi a Alemanha

Partilhar:

Depois do escândalo argentino com a Arábia Saudita, em Doha repetiu-se o mergulho no abismo de outro candidato à vitória final. Também com direito a incrível reviravolta, os requintes de malvadez nipónicos foram superlativos numa extraordinária segunda parte dos homens de Hajime Moriyasu, valendo os golos de Doan e Asano, dois homens da Bundesliga, que viraram a desvantagem trazida desde o minuto 33, quando Gundogan converteu um penálti.

A vitória japonesa tem de se aceitar pela capacidade de reação nos segundos 45 minutos, muito conseguida a partir do banco, já que todas as mexidas levaram a equipa para a frente. Os alemães claudicaram perigosamente na 2ª parte, os níveis de concentração baixaram, Rudiger foi apagando fogos, mas demasiado solitário, percebendo-se a quebra do miolo e a falta de frescura dos homens mais adiantados. Neuer ainda salvou uma ameaça de Asano mas, pouco depois, ao defender para a frente um centro de Minamimo concedeu oportunidade ao mesmo jogador de fazer o empate.

O desassossego tomou conta dos alemães, irreconhecíveis após o primeiro abalo, após terem feito uma primeira parte que até merecia vantagem mais cómoda e terem tido um arranque de 2ª parte para arrumar o jogo, através de disparos de Gnabry e Gundogan que encontraram os ferros. O desnorte germânico ficou a nu no 1-2, reviravolta operada num lance fantástico de Asano, o dínamo da mudança radical na toada do encontro, que acreditou ao máximo e foi até ao fim, aguentando carga de Schlotterbeck antes de fuzilar Neuer.

Nos minutos finais os japoneses nunca deram grandes ensejos à Alemanha de corrigir parte do percalço e só viram o perigo rondar a baliza de Gonda num remate de primeira de Goretzka. O sportinguista Morita viu do banco esta vitória histórica do Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *