Matosinhos: Linha de Leixões será reaberta aos passageiros no final do ano
Matosinhos: Linha de Leixões será reaberta aos passageiros no final do ano

Matosinhos: Linha de Leixões será reaberta aos passageiros no final do ano

Partilhar:

Até o final deste ano, a linha ferroviária de Leixões será reativada para o transporte de passageiros entre Campanhã e Leça do Balio, incluindo essas duas novas paragens. O protocolo necessário para essa reinserção foi assinado na passada quinta-feira entre a Câmara de Matosinhos, a Infraestruturas de Portugal (IP) e a Comboios de Portugal (CP).

A reintrodução do serviço de passageiros na linha de Leixões, interrompido desde 2011, é uma iniciativa da Estratégia Ferroviária do Município de Matosinhos, visando aumentar a mobilidade e a descarbonização dos transportes. Inicialmente, a linha terá seis paragens: Contumil, São Gemil, Arroteia, Hospital de S. João, São Mamede de Infesta e Leça do Balio, prevendo-se cerca de 180 mil passageiros anualmente. O investimento estimado é de três milhões de euros, a ser suportado pelas três entidades signatárias do protocolo.

Caberá à IP a construção das novas paragens (estruturas pré-fabricadas provisórias), uma no Hospital de S. João e outra na Arroteia, além da melhoria das plataformas existentes em Contumil e São Gemil, entre outras medidas. A Câmara de Matosinhos será responsável pela requalificação e melhoria das acessibilidades às estações de São Mamede de Infesta e Leça do Balio, bem como pela garantia de acessibilidade às novas paragens do Hospital de S. João e da Arroteia.

A CP será encarregada da operação do serviço urbano de passageiros na linha de Leixões, incluindo as novas paragens, com dois comboios por hora em cada sentido. Atualmente, a IP assegura que um dos comboios seja uma extensão da linha de Ovar e o outro tenha origem/término no Terminal Minho e Douro da estação de Porto-Campanhã. Conforme o protocolo, IP e CP se comprometem a explorar a possibilidade de estender o segundo canal sobre a Linha do Norte, no contexto do processo de alocação de capacidade para o horário de 2025.

Em uma segunda fase, serão conduzidos estudos para a extensão até a área de Leixões/Senhor de Matosinhos, conforme previsto no Programa Nacional de Investimentos 2030. No futuro, a integração modal com o Metro do Porto, o Serviço Público de Transporte de Passageiros Rodoviário (incluindo as redes STCP e UNIR) e a rede BRT – Metrobus poderão ser consideradas.

Foto: CM Matosinhos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *