Médico do Porto vence bolsa D. Manuel de Mello com projeto sobre fibrose pulmonar
Médico do Porto vence bolsa D. Manuel de Mello com projeto sobre fibrose pulmonar

Médico do Porto vence bolsa D. Manuel de Mello com projeto sobre fibrose pulmonar

Partilhar:

O pneumologista do Centro Hospitalar Universitário de São João e investigador Hélder Novais e Bastos é premiado hoje com a bolsa D. Manuel de Mello, com um trabalho que visa melhorar o diagnóstico e o tratamento da fibrose pulmonar.

Hélder Novais e Bastos recebe hoje, numa cerimónia que decorre no auditório do Hospital CUF Porto e é transmitida em ‘streaming’, a bolsa no valor de 50 mil euros, promovida pela Fundação Amélia de Mello em parceria com a CUF e destinada a premiar a investigação de jovens médicos.

Em declarações à agência Lusa, o pneumologista e investigador admitiu sentir-se “frustrado” nos últimos anos de trabalho por não ter “as ferramentas” necessárias que “a ciência pode dar para tratar adequadamente os doentes”, nomeadamente, que permitam prever a evolução da fibrose pulmonar.

“Senti também que não tinha as ferramentas terapêuticas todas para melhorar o prognóstico dos doentes”, afirmou o médico.

A fibrose pulmonar, doença crónica subdiagnosticada, causa a deterioração gradual da função pulmonar, resultando em cansaço crescente, insuficiência respiratória e morte.

“A fibrose pulmonar não é apenas uma doença, é o produto final de um conjunto de doenças pulmonares difusas, em que, seja qual for o estímulo inicial, acabam por desenvolver um processo de cicatrização anómalo e progressivo que se autoperpetua”, esclareceu o médico.

O desconhecimento sobre os mecanismos da doença fez com que a fibrose pulmonar se tornasse, nos últimos anos, numa das principais razões para o transplante do órgão, representando cerca de um terço do total de transplantes de pulmão em Portugal e no mundo.

“É uma doença que tem uma taxa de mortalidade comparável a muitos tipos de cancro e que é tão ou mais grave do que alguns tipos de cancro, mas para a qual não existe informação tão atualizada e completa como temos para o cancro”, salientou o pneumologista, acrescentando que muitos doentes acabam por ficar dependentes de oxigénio suplementar ou mesmo por morrer.

Segundo Helder Novais e Bastos, a bolsa D. Manuel de Mello vai permitir investigar a prevalência das doenças pulmonares que conduzem à fibrose progressiva, bem como explorar as interações entre a genética e os fatores ambientais.

A investigação pretende por isso criar um registo de doentes com fibrose pulmonar que, através de uma ‘coorte’, vão ser seguidos ao longo do tempo.”Além de percebermos o histórico dos doentes, vamos fazendo colheitas de amostras biológicas, como de sangue, para perceber o que se está a passar com o doente”, referiu, acrescentando que vão ser realizadas análises adicionais de outros mediadores moleculares.

“Vamos tentar desvendar quais é que são importantes e se associam à progressão da doença. Se percebermos quais são os que se associam à progressão, podemos identificá-los precocemente”, salientou.

Além de permitirem a identificação precoce da doença, os biomarcadores que vão ser estudados podem também vir a ser potenciais alvos terapêuticos, ao estarem associados ao desenvolvimento da doença.

À Lusa, o médico e também investigador do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) disse querer recrutar pelo menos 150 doentes, sendo que o objetivo é acompanhar a ‘coorte’ além do horizonte do projeto.

Quanto à base regional de doentes da região Norte do país que vai ser criada no âmbito da bolsa, Hélder Novais e Bastos disse esperar que a mesma “sirva de estímulo para outros grupos”.

“Vamos tentar estimar a prevalência desta doença na população que está sob influência do Hospital de São João. Espero que sirva de estímulo para outros grupos”, acrescentou o também professor na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP).

A bolsa D. Manuel de Mello é atribuída desde 2007 a jovens médicos que desenvolvem projetos de investigação clínica, no âmbito das unidades de investigação e desenvolvimento das faculdades de medicina portuguesas.

A cerimónia da entrega da bolsa, que decorre hoje pelas 11:00, conta com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Sales e do Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *