Metro do Porto investe 4,5 milhões na condução semiautomática de carruagens

Metro do Porto investe 4,5 milhões na condução semiautomática de carruagens

15/12/2021 0 Por admin
Partilhar:

O Metro do Porto vai investir num mecanismo que possibilita a condução semiautomática, centralizando todas as indicações na cabina do maquinista. Deverá entrar em circulação no final de 2022.

Um total de 18 novas carruagens da Metro do Porto vão ser equipadas com um sistema de sinalização que permite supervisão de velocidade e condução semiautomática, num investimento de 4,5 milhões de euros que entra em fase de teste no final de 2022.

No âmbito do contrato entre o grupo Alstom e o Metro do Porto, no valor de 4,5 milhões de euros, serão fornecidos os sistemas de sinalização ATP (Automatic Train Protection) onboard para 18 novas composições que vão ser adicionadas à frota já existente.

Baseado na tecnologia CityFlo, este sistema, indicou esta segunda-feira a Alstom, em comunicado, inclui “balizas” colocadas ao longo da via, que vão enviando informações para os comboios, permitindo uma supervisão contínua da velocidade.

Além disso, possibilita uma condução semiautomática, centralizando todas as indicações na cabina do maquinista.

“A Alstom está empenhada em contribuir para o desenvolvimento do sistema ferroviário português, propondo sistemas e soluções que constituam uma mais-valia em termos de funcionalidade e segurança, tanto para os operadores, como para os utilizadores. Com o fornecimento do sistema CityFlo ao Metro do Porto, estamos a potenciar a modernização e segurança da linha e das composições, ao mesmo tempo que facilitamos a transição para uma mobilidade mais sustentável”, afirmou David Torres Managing Director da Alstom Portugal, citando em comunicado.

De acordo com a empresa, que desenvolve e comercializa soluções de mobilidade sustentável, a primeira composição dotada deste sistema ATP da Alstom entrará em circulação em fase de testes no final de 2022, de acordo com a planificação do Metro do Porto.

A adaptação em termos de engenharia do sistema ATP aos novos comboios compreende ainda uma série de melhorias, tais como a inclusão de ecrãs tácteis, com ganhos em termos de operacionalidade e ergonomia.

A Alstom está há mais de 30 anos em Portugal e, atualmente, dois em cada três comboios em circulação no nosso país foram fabricados pela Alstom ou com tecnologia Alstom, incluindo comboios de alta velocidade, comboios regionais, metropolitanos e elétricos.