Portugal vence finalíssima Intercontinental de futsal
Portugal vence finalíssima Intercontinental de futsal

Portugal vence finalíssima Intercontinental de futsal

Partilhar:

Portugal conquistou a primeira edição da Finalíssima Intercontinental, uma competição organizada em parceria entre a UEFA e a CONMEBOL – reconhecida também pela FIFA – e que se realizou em Buenos Aires (Argentina).

No jogo da grande final, a equipa das quinas derrotou a Espanha nos penáltis (4-2 após 1-1 no tempo regulamentar), escrevendo, assim, mais uma página dourada na história do futsal nacional.

Se o resultado ao intervalo era injusto para a turma lusitana – 0-1, fruto de um golo de Miguel Mellado, mesmo a terminar a primeira parte -, Portugal tratou de repor a justiça daí para a frente. Os comandados de Jorge Braz deram sequência ao que de tão bom já tinham feito nos primeiros 20 minutos, mas a grande diferença esteve no facto de conseguirem chegar ao golo: Afonso Jesus, aos 28 minutos, picou, com classe, a bola sobre Didac Plana e restabeleceu a igualdade. 

O duelo ibérico seguiu, então, para prolongamento, e mesmo no tempo extra houve sempre mais Portugal. O golo do triunfo, ainda assim, não apareceu nos 10 minutos adicionais, pelo que o título seria decidido apenas através do desempate por penáltis.

E aí, houve competência e… justiça. Competência porque Portugal marcou os quatro castigos máximos de que dispôs (Bruno Coelho, André Coelho, Pany Varela e Tomás Paçó), e competência porque Edu Sousa (o escolhido de Jorge Braz para o momento da decisão) defendeu dois remates espanhóis e foi, também ele, herói na noite argentina.

É mesmo caso para dizer que a justiça tardou… mas não falhou. E Portugal, campeão do Mundo e bicampeão da Europa, torna-se o primeiro vencedor da Finalíssima Intercontinental. E isso, aconteça o que acontecer, ficará para sempre perpetuado na história do futsal nacional, europeu e mundial. Os comandados de Jorge Braz voltaram a ser heróis do mar, nação valente, imortal, e levantaram de novo o esplendor de Portugal. 

Foto: UEFA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *