Primavera Sound regressa ao Porto após dois anos de pandemia
Primavera Sound regressa ao Porto após dois anos de pandemia

Primavera Sound regressa ao Porto após dois anos de pandemia

Partilhar:

Mais de 60 bandas e artistas, nacionais e estrangeiros, atuam entre quinta-feira e sábado no festival Primavera Sound, que regressa ao Parque da Cidade, no Porto, após dois anos de interregno impostos pela pandemia da Covid-19.

A edição deste ano, a 9.ª, é “um começar outra vez”. “Foi quase um reaprender a trabalhar. Um festival destes envolve muita gente e estas ligações foram-se perdendo com estes anos de pandemia. Foi um desafio muito grande [preparar esta edição], mas ao mesmo tempo aliciante, porque é bom coisas boas começarem de novo”, afirmou o diretor da Pic-Nic, promotora do NOS Primavera Sound, José Barreiro, em declarações à agência Lusa.

Embora a organização tenha tentado “não mexer muito no que era um festival já com a sua marca, o seu sucesso”, as obras de ‘ligação’ do Parque da Cidade ao mar, recentemente concluídas, “forçosamente mexeram com o ‘layout’ do festival”.

“Mas é mais na zona de entradas, de alimentação, de acesso aos palcos principais. Porque a localização dos [cinco] palcos é praticamente a mesma que existia até 2019”, explicou José Barreiro.

Do cartaz desta edição, o promotor destaca os cabeças-de-cartaz, “que é o que as pessoas mais procuram”: na quinta-feira, Nick Cave e Tame Impala, “dois nomes enormes do panorama musical numa mesma noite, é raro isso acontecer num festival em Portugal”, na sexta-feira, “o grande regresso” dos Pavement aos palcos, que deveria ter acontecido em 2020, e de Beck, “há bastante tempo ausente dos palcos portugueses” e, no sábado, Gorillaz, “uma banda que raramente pisa palcos” e que a Pic Nic teve “a sorte de trazer” ao Porto.

“Depois outros nomes, como Interpol, e muito pop, como o Jhay Cortez, Caroline Polachek. O festival tem esta característica que é mostrar um bocadinho de todos os géneros musicais, tentamos sempre dar um bocadinho de tudo o que se vai passando, sem excluir estilos”, referiu José Barreiro.

O cartaz inclui ainda bandas e artistas como Diiv, King Krule, Kim Gordon, Georgia, Slowdive, Shellac, Dinosaur Jr., Little Simz, Pablo Vittar, Earl Sweatshirt, DJ Firmeza, Pedro Mafama, Montanhas Azuis, Chico da Tina, Rita Vian e David Bruno.

Os passes de três dias “estão esgotados há mais de um mês”. Para quinta-feira e sábado, também já “não há bilhetes”, e sexta-feira está “perto de esgotar”.

“[A adesão do público] dá-nos a responsabilidade de conseguir fazer outra vez bem feito. E esse é o maior desafio para esta edição”, afirmou José Barreiro.

De acordo com o promotor, apenas sete a oito por cento das pessoas que tinham comprado bilhete para 2020 pediram reembolso.

“Nessa altura lançámos o cartaz para 2021 e vendemos mais do que devolvemos”, contou.

O Primavera Sound será acompanhado pela Rádio Metropolitana Porto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.