Programa Porto Solidário já homologou 419 candidaturas

Programa Porto Solidário já homologou 419 candidaturas

21/04/2021 0 Por admin
Partilhar:

Às 319 candidaturas inicialmente homologadas pela 9.ª edição do programa de apoio à renda da Câmara Municipal do Porto, intitulado “Porto Solidário”, juntam-se agora mais 100, o que perfaz um total de 419 candidaturas homologadas, anunciou esta terça-feira a autarquia. 

Com uma dotação orçamental de 750 mil euros, o programa atribuiu um valor médio do apoio mensal de 195,84 euros, válido durante 24 meses. Trata-se de um aumento de cerca de 30 euros, em comparação com as últimas edições, que visa “ajudar a fazer face ao atual impacto económico no rendimento das famílias causado pela pandemia por covid-19”. 

Segundo explica a autarquia, o número de famílias detentoras de contratos de arrendamento é de 399, ou seja, 95% do total, sendo que apenas 20 famílias apresentam encargos com prestação bancária por habitação própria, o que corresponde a 5%. 

As freguesias com maior número de famílias que se candidataram ao programa “Porto Solidário” foram Paranhos (23%), seguida da União de Freguesia de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória (21%) e Campanhã (20%). Segue-se a freguesia do Bonfim com 15% dos beneficiários, Ramalde (11%) e a União das Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde e a União das Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, cada uma com 5% do total de apoios.  

De forma a conseguir abranger todas as candidaturas submetidas, 747, o município assegura que se encontra a “reforçar a dotação inicial” desta edição. 

No total, a autarquia portuense já apoiou mais de 3.550 famílias através deste programa de apoio à renda, criado em 2014. O investimento foi, até então, de 8.595 milhões de euros. O programa é dirigido a “agregados familiares que se encontrem em situação de fragilidade económica e, por esse motivo, impossibilitados de cumprir compromissos contratuais, legalmente formalizados, de arrendamento ou de aquisição de habitação”.

Recentemente, a Câmara Municipal passou para a Domus Social a gestão integral do “Porto Solidário”, responsável desde este mês de abril, pelo processamento e pagamento do apoio.