Serralves em Festa bateu todos os recordes de visitantes
Serralves em Festa bateu todos os recordes de visitantes

Serralves em Festa bateu todos os recordes de visitantes

Partilhar:

Dos mais velhos aos mais jovens, foram milhares os visitantes que ocuparam os espaços da Fundação de Serralves, no Porto, durante o fim de semana passado. Depois de quatro anos sem se realizar, o Serralves em Festa, o festival de 50 horas “non-stop” de atividades culturais gratuitas que se tornou um clássico do primeiro fim-de-semana de junho na cidade Invicta, cumpriu o seu regresso. O maior festival de arte contemporânea em Portugal bateu todos os recordes de visitantes, contando com mais de 290 mil pessoas.

O festival “que não dorme” durante 50 horas foi visitado por exatamente 291 758 pessoas, de acordo com um comunicado enviado ao Porto Canal. Relativamente à última edição, em 2019, que recebeu cerca de 250 mil pessoas, verificou-se um aumento de 10%.

Música, dança, performance, teatro, circo contemporâneo e cinema. Uma programação alargada que honra todas as artes, fez com que miúdos e graúdos, de todas as nacionalidades e idades, visitassem o Serralves em Festa durante o primeiro fim de semana de junho.

O Serralves em Festa decorreu durante todo este fim-de-semana, com pouco mais de dois dias, 50 horas, recheados de atividades, desde a música ao teatro, da dança ao cinema, do circo às artes visuais. Esta edição ficou marcada pelo cinema de Manoel de Oliveira, a Barricada de Marcelo Evelin, “Stairs” de Yoann Bourgeois e um bailarino com síndrome de Down a dançar as bachianas Variações Goldberg.

Peças como Galochas, de Martina Griewank, A Cereja de Alberto, de Isabel Fernandes Pinto e Joaquim Pavão, ou Gnoma, de Pea Green Boat, são alguns dos destaques no que toca ao teatro. Na Casa Manoel de Oliveira, por sua vez, serão exibidos filmes como Aniki-Bóbó, Porto da Minha Infância ou Visita ou Memórias e Confissões.

O público feminino representou a maioria dos visitantes, com 55%, e a média de idades foi de 35,2 anos. Já no caso dos homens, a média de idades foi de 38,7 anos. Além disso, uma outra percentagem que se destacou foi a da presença de outras nacionalidades, com cerca de 24%. Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e Espanha foram os países mais predominantes no evento de arte contemporânea. 

Segundo o estudo de públicos e de impacto económico do Serralves em Festa, realizado pelo Centro de Investigação em Ciências Empresariais e Turismo da Fundação Consuelo Vieira da Costa (CICET-FCVC) e pela Fundação de Serralves, relativamente à intenção de voltar no próximo ano, mais de 80% respondeu que o faria. Desta forma, e depois de quatro anos sem o evento, tudo indica que em 2024 a cidade Invicta volta a receber o Serralves em Festa para mais um fim de semana cheio de cultura para toda as idades.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *