Vila do Conde Inativa Cerca de 350 Ninhos de Vespa Asiática no Ano de 2023
Vila do Conde Inativa Cerca de 350 Ninhos de Vespa Asiática no Ano de 2023

Vila do Conde Inativa Cerca de 350 Ninhos de Vespa Asiática no Ano de 2023

Partilhar:

Ao longo do ano de 2023, o Serviço Municipal de Proteção Civil e o Gabinete Técnico Florestal registaram aproximadamente 350 intervenções em ninhos de vespa asiática, mantendo uma semelhante contagem aos ninhos reportados em 2022.

Embora tenham sido comunicados ninhos em todas as freguesias, destaca-se a incidência particular nas freguesias de Vila do Conde e nas Uniões de freguesias de Touguinha e Touguinhó; Fornelo e Vairão; Bagunte, Ferreiró, Outeiro maior e Parada.

Os ninhos foram identificados em diversas localizações, abrangendo áreas urbanas, vegetação arbustiva, muros e, até mesmo, no solo e em árvores situadas em espaços verdes, ruas e áreas florestais.

Estes dados evidenciam a eficácia da resposta do Município no controlo da população de vespa velutina. A ação vai além da pronta resposta aos ninhos de vespa asiática, realizada no máximo em 48 horas após a comunicação, englobando medidas preventivas. Inclui a distribuição gratuita de armadilhas seletivas, desenvolvidas pela Associação NATIVA, destinadas à captura das vespas fundadoras no início de cada ano, além de ações de sensibilização e informação para a população.

Contudo, a população é alertada para a necessidade de distinguir entre os ninhos de vespa asiática e os de vespas autóctones, estas últimas essenciais para a biodiversidade e sustentabilidade do ecossistema.

Da mesma forma, destaca-se o processo natural de enxameação de abelhas, que ocorre tipicamente durante a Primavera ou início do Verão (abril-junho). Em algumas situações, este fenómeno é erroneamente reportado como um ninho de vespas asiáticas. Se avistar um elevado número de abelhas nas proximidades da sua casa, é aconselhável não intervir, pois geralmente, após algumas horas, as abelhas acabam por deixar o local em busca de um novo ninho para continuar o seu ciclo de vida.

O município reforça a importância do trabalho realizado para controlar esta espécie invasora, não apenas pela segurança dos cidadãos, dada a localização dos ninhos em zonas urbanizadas, mas também pela sustentabilidade socioeconómica. A presença da vespa velutina representa uma ameaça não só para as abelhas, mas também para outros insetos polinizadores, colocando em risco a polinização, a produção agrícola e a sustentabilidade global do ecossistema.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *